Técnico Cleobio Bastos, do Tigre/Garanhuns, avalia 2013


Com apenas 31 anos, o técnico Cleobio Bastos, do Tigre/Garanhuns (PE), já acumula conquistas coletivas (Liga Nordeste) e individuais. No último fim de semana, Cleobio foi um dos homenageados na ‘Noite das Personalidades’, evento realizado em Aracati (CE), onde dezenas de salonistas foram homenageados por Segundo Costa.
A seguir, o treinador faz um balanço sobre a atual temporada:
“Sem dúvidas, o ano de 2013 para mim será de fato inesquecível. Apesar do início do ano longe das quadras, devido a saída da comissão técnica do Tigre no final de 2012, após três anos atuando como auxiliar técnico, continuei acompanhando o futsal brasileiro para manter atualizados os conhecimentos”, disse.
Anets de assumir o clube pernambucano, Cleobio atuava como auxiliar técnico, e o retorno ao futsal ocorreu de forma inesperada:
“Recebi o convite do professor Zeca Brochier, supervisor da União Jovem do Rincão, de Novo Hamburgo (RS), para fazer parte da comissão técnica da equipe sub-15 na Taça Brasil de Futsal, realizada em Recife. Foi uma experiência formidável, pois tratava de uma comissão técnica jovem, comandada pelo professor Edu Attolini, com atletas da cidade e quase sem experiência em competições nacionais. A campanha deles foi maravilhosa, dentro do planejamento que o clube fez e como a competição foi realizada em meu estado natal, tive uma maior visibilidade”, explicou. 
Ao mesmo tempo, o Tigre passava por um momento de muita instabilidade, principalmente com os maus resultados colhidos no primeiro semestre, advindo de um rebaixamento de divisão na Taça Brasil (caindo da Divisão Especial para a Primeira Divisão) e uma má campanha na Copa Pernambuco, na qual não chegou nas finais. 
“Houve uma reformulação emergencial por conta disso e acabei recebendo um convite da direção do Tigre para retornar ao clube, desta vez como treinador.  Não hesitei e acabei aceitando este desafio, principalmente por conhecer a fundo o clube e confiar muito no meu trabalho. O desafio era enorme, não apenas pelo primeiro semestre ruim da equipe, mas principalmente pelo desafio em manter a hegemonia no campeonato estadual (éramos até então tetracampeões estaduais), mas desta vez com um orçamento 60% menor que o ano de 2012”, ponderou.

Mesmo com a boa campanha neste ano, Cleobio encerra falando sobre a premiação em Aracati e já pensa na próxima temporada:

“Apesar de não ter conquistado o pentacampeonato estadual, não tenho o que reclamar deste ano de 2013, pois solidificou o meu nome no meio do futsal e este troféu conquistado em Aracati, é o reconhecimento deste trabalho que mesmo em pouco tempo rendeu muitos frutos. Espero que em 2014 possamos seguir nesta luta diária que é conseguir mais espaço nos grandes centros e buscar novos títulos”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *