Andrezinho fala sobre títulos, decepções e atual momento na carreira

Em 2012, o ala Andrezinho, até então atleta da AABB/Mapfre, fez parte do elenco campeão da primeira edição LPF (Liga Paulista de Futsal). Na época, o time da zona sul de São Paulo, bateu o Pinda EC, ficou com o inédito título estadual.941060_1749665208608472_3038240850380515863_n

“Me sinto lisonjeado por ter sido campeão da primeira Liga Paulista. Na AABB tínhamos desde o treinador Kazu até o jogador mais novo do elenco, uma equipe de raça e muita luta dentro de quadra. Em vista que, eliminar a poderosa Intelli (campeã da Liga Nacional na época) dentro de Orlândia, foi uma sensação única. Outro detalhe foi que a Intelli contava com cinco jogadores campeões mundiais em 2012 (Guitta, Vinicius, Falcão, Jé e Ciço que foi cortado por lesão do Mundial, mas jogou a semifinal contra a gente). Estamos na história do futsal e dentro da AABB tem uma placa que leva nosso nome por isso.

Após defender as cores da AABB, Andrezinho passou por outras equipes, dentre elas, a AD Indaiatuba/9 de Julho e o Clube São João, de Jundiaí.  Atualmente, o ala faz parte de um novo projeto instituído na cidade de Itu (SP), e se diz satisfeito com esta nova oportunidade no futsal ituano:

“Esta temporada estou sem clube na Liga Paulista, porém defendendo a cidade de Itu em todas as competições em que a cidade representa! Lá é feito um excelente trabalho com o Professor Paulo Curió e na medida do possível vamos em busca do que esteja ao nosso alcance nesses campeonatos”, conta.

13102889_1026313074130783_908364016549051564_nMas antes de acertar sua situação com Itu, Andrezinho fez parte do elenco do FS21/Americana, o qual iria participar da LPF. Mas por questões estruturais, o projeto se desfez, frustrando atletas e comissão técnica.

“Eu vejo isso com maus olhos. Pois a equipe e seu projeto já estavam até em uma chave da Liga Paulista e com quase tudo pronto pra apresentação dos atletas, de repente vem a notícia dessas restrições. Eram mais ou menos uns 15/20 novos empregos e do nada em curto espaço ficamos sem clube. Têm alguns clubes em São Paulo que não pagam em dia e isso quando não acabam, de repente aparece um projeto novo e é vetado por poucos detalhes”, lamentou.

Andrezinho também avalia o fim de muitas competições oficiais em São Paulo, dentre elas, o Troféu Cidade de SP e o Campeonato Paulista do Interior:

“Com o fim dessas competições, creio que diminuíram espaços para jogadores e principalmente o Paulista do Interior, em que muitas das cidades revelavam mais jogadores. Com o final desse torneio, muitos times encerraram suas atividades. Hoje em dia, ainda temos algumas equipes, mas naquela época, havia muito mais. Sobre o Troféu Cidade de São Paulo, eu digo que era um torneio importantíssimo preparatório para o que viesse durante o resto do ano e era muito bem disputado”.

12321356_1749665225275137_744244262519548750_n

Aos 37 anos, o ala afirma que ainda não pretende ‘pendurar’ as chuteiras e quer voltar à Liga Paulista:

“Hoje estou com 37 anos e minha cabeça fica a mil por hora quando o assunto é futsal. Aliás, vivi minha vida toda nesse esporte, que me fez viajar mundo afora conquistando títulos individuais e coletivos dentro e fora do país! Sobre ‘pendurar as chuteira’: enquanto não tiver lesão que realmente me afaste das quadras, não irei parar e quem sabe já estarei de volta na LPF. Por enquanto é defender a equipe de Itu da mesma maneira que sempre defendi todas as equipes em que atuei”, completou.

Fotos: Divulgação

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *