Fim de semana com alguns pontos negativos no futsal brasileiro

Muita gente, por todo o canto do Brasil, ainda se pergunta “Porque o Futsal não é Olímpico”? A discussão é grande, diverge e difere as mais variadas opiniões; Alguns falam da falta de organização, critérios adotados pela arbitragem em determinadas competições, ego, falta de união e para outros, a tal ‘briga’ entre o COI (Comitê Olímpico Internacional) e a FIFA.


Claro que a prática em si, a emoção do jogo e o lado ‘imprevisível’ de cada partida já seriam itens suficientes para o futsal ter seu espaço em uma Olimpíada. Mas tudo isso vai muito aquém do simples fato de reconhecer o futsal como uma modalidade olímpica.

Mesmo com os Estaduais apresentando bons jogos e a LNF (Liga Nacional de Futsal) dando o pontapé inicial em sua fase de playoffs, o que se viu nos últimos dois dias foram cenas lamentáveis. Torcedores que apedrejam ônibus, árbitro agredido em quadra, treinador dispensado (supostamente por não concordar com uma decisão extra quadra relacionada à escalação). Esses foram alguns dos pontos negativos do futsal neste fim de semana.


Isso demonstra um descaso, desrespeito e despreparo com a modalidade. Evidente que este editorial não generaliza, até porque existem profissionais de altíssimo nível (em sua maior parte), em todo o país . Mas estas mesmas pessoas que lutam, de maneira saudável e incansável pelo futsal, pagam um preço caro pela irresponsabilidade de uma ‘meia dúzia’ que ainda insiste no amadorismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *