Diretor da CBFS evita conflito com Falcão e diz respeitar ‘ponto de vista’

Após o ala Falcão (Brasil Kirin) se mostrar decepcionado com o comando do futsal brasileiro, , uma série de atletas seguiu o mesmo caminho do craque e se desligaram (momentaneamente) da seleção. A partir desse fato, a CBFS (Confederação Brasileira de Futsal), passou a ter outro problema: a perda de patrocínios. Uma das reclamações dos jogadores diz respeito a um suposto não pagamento de premiações.
Assim que acabou a partida entre Brasil x Chile, pela primeira rodada da Copa das Nações, em entrevista ao canal SporTV, o Diretor de Seleções, Edson Nogueira afirmou que o presidente da entidade é a pessoa indicada a dar explicações.
“Isso aí, a pessoa indicada a responder é o presidente (da CBFS). Quem deve é a Confederação, então o doutor Aécio (de Borba) tem mais condições de responder”, afirmou Nogueira.
Confira outros trechos da entrevistas ao SporTV:
Acusação das convocações de atletas atenderem a interesses
“Não tenho conhecimento. O que eu sei é que o treinador (Ney Pereira) convoca os jogadores que merecem a confiança dele e de todo mundo. Não tenho interferência. Se precisar, eu terei”.
Acusação de ‘prisão’ em Fortaleza, quando, segundo Falcão, não havia internet nem televisão
“Existe uma diretora de CT (centro de treinamento). Eu sou encarregado de levar o pessoal. O restante da administração, parte da administração. Internet falta no celular, em qualquer lugar. Realmente, naquele dia, não tinha internet. Estava falhando, e ele estava com dificuldade”.
Acusação de que o futsal brasileiro está andando para trás em 20 anos
“Ano passado nós ganhamos tudo que disputamos. É ponto de vista, você respeita e vê a história”.

Fonte: Globo Esporte.com
Foto: Você faz a Notícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *