Bruno Façanha fala um pouco sobre sua experiência dentro e fora do Brasil

O salonista cearense Bruno Façanha, de 29 anos, é uma das grandes revelações do Estado nos últimos anos, o ala/fixo – natural de Maranguape – desbravou – se na últimas temporada pela Tailândia, onde adquiriu mais experiência e aprendizados em uma nova cultura e estilo de jogo (anteriormente defendeu Maranguape nos anos de 2008, 2013 e 2014, sendo destaque no título da Taça  Brasil sub 20 pelo Sumov, antes de chegar em Maranguape).

No Maranguape, mostrou seu talento para o cenário estadual sendo campeão da primeira edição da copa TV Verdes Mares e eleito revelação daquele ano, em 2015 iniciou sua trajetória no futsal tailandês, passou pelos clubes: Supercat 2015, 2016, 2017, Cat Telecom 2018, Bangkok City 2019, o atleta sem em suas principais qualidades o ótimo passe, habilidade, visão de jogo, liderança e conhecimento tático. A seguir, Bruno fala um pouco sobre sua carreira:


Quais os principais desafios no 5 anos no futsal tailandês, e oque ele te proporcionou de mudanças em relação a sua vida ?


” Comunicação foi o grande desafio, toca na questão da alimentação e locomoção entre outras questões, No segundo ano fui treinador e jogador, e entra novamente a problemática da comunicação, juntamente com a estrutura hierárquica local(associam juventude a inexperiência)tinha 24 anos na época. A distância entre os países, a saudade da minha família e filha(não acompanhando de perto o seu crescimento). Metodologia de treino rígida e militarizada, implicando em desgaste físico e mental, gerando lesões.

Também tive contato com muita gente boa, companheiros de equipe, Yuri que me levou em 2015, Darko (Sérvia), Kanci (Itália), Rian Gomes (conterrâneo), Renato Gomes,  Yudai (Japão), Hélio  Neto, outros amigos brasileiros que jogavam outros times e tailandeses com quem aprendi bastante na troca permanente de cultura, língua e companheirismo. Ampliei meu horizonte de compreensão, aprimorei questões técnicas e táticas do jogo, amadureci e com essa experiência eu pude olhar pro mundo de uma maneira mais humanitária”, disse Bruno .

 Quais os sonhos e projetos daqui para a a frente?

” Ainda espero atuar nas quadras e somar mais experiência de jogo(inclusive estou com muita saudade, também passei por um processo de maturação de percepção de vida, isso me fez enxergar o esporte não só como um caminho profissional, mas uma ferramenta de transformação social, e para além do esporte, desenvolver outras potencialidades e responder a novas inquietações no âmbito social”, explicou.

 Qfual jogo foi o mais marcante pra você e considera virada de chave na carreira ?

“Jogo Maranguape x Crateus pela copa da TV 2013, no qual fiz um gol faltando quatro segundos do fim e vencemos por 2×1. O jogo deu muita confiança para mim e para equipe na reta final da Copa, em que fomos campeões. E foi um momento de bastante aprendizado, ano que joguei com grande atletas e isso me fez crescer profissionalmente”, completou Bruno, que segue treinando firme visando, retorno às quadras e novos projetos.

Com informações  : Jeferson Silva
Foto : Arquivo pessoal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *